Escritos - página anexa destinada a postagem de obras autorais

12 de nov de 2015

Sentença (3ª temp de fúria) - Capítulo 7


WILL
Segue-se um longo período em silêncio depois que ela entra.
Talvez o período não tenha sido tão grande assim, mas a essas circunstâncias, com todos nós tensos e apreensivos, o tempo tende a correr mais devagar.
Mantenho a mesma postura depreciativa que sustentei desde que entrei nesse lugar.


Não vou negar que estava curiosa em conhecê-los.”
- Ela diz, e eu não confio no sorriso gentil que ela nos lança. Assim como eu a analiso, posso perceber seus olhos movendo-se para Diana, medindo-a.
Então seu olhar se volta subitamente para mim, e ela o sustenta por mais tempo do que o normal.
Meu nome é Miranda Safroncik, sou a representante de relações externas da União Europeia.”

Representante é, claramente, mais um eufemismo.
Miranda comanda um dos setores mais importantes da UE durante muitos anos, exerce influência direta no Parlamento europeu e possui fortes – e suspeitas – ligações com a parte econômica do bloco, apesar deste último não fazer parte das tarefas de seu cargo.
Começo a pensar que sua visita é muito mais pessoal do que transparece.

Acredito que já possuem a consciência da importância da missão que lhes foi confiada.” - Ela continua. - “Tinha sido um consenso geral de que agentes do alto escalão do FBI e da Interpol seriam escolhidos para a tarefa, mas os governadores de Nápoles, Milão e Catanzaro solicitaram uma audiência comigo e pediram que eu reconsiderasse.”

Diana olha para mim, por um segundo, antes de focar-se novamente nela.

Nenhum de nós quer um escândalo.” - Miranda afirma. - “A situação dos imigrantes já ganhou uma magnitude maior do que deveria, um novo escândalo só prejudicaria todos. Foi especialmente por esse motivo que aceitei a proposta dos governadores.”

Fez uma má escolha, então.” - Solto, incapaz de me conter. - “Seus agentes com certeza estão mais acostumados com a discrição.”

Ela volta a sustentar seu olhar em mim.
O canto de sua boca se curva, de forma quase imperceptível, num sorriso enviesado.

Você é William Richmond, não?” - Pergunta.

Sou.”

Me falaram sobre você.”

E toda a mensagem escondida e subjetiva direcionada a mim desde que entrou na sala está nessa frase.
Ela conhece os meus laços com Liza Vaccari e fez questão de mostrar isso.
Essa é toda a intimidação quanto à razão de eu estar aqui, de ter sido escolhido para isso, e o que provavelmente vai acontecer se eu decidir pular fora.
Talvez essa seja a mensagem de toda a reunião.

Nós vamos precisar de recursos.”
- Diana solta, rapidamente, numa tentativa de desfazer a tensão que se formou entre mim e Safroncik.
Disfarces, cartões, documentos falsos, dinheiro, armas…”

A União vai bancar financeiramente toda a missão.”
- Miranda diz, desviando-se de mim.
O delegado Craven vai estar supervisionando a tarefa. Se precisarem de qualquer coisa, avisem-no. A União apenas exige a total ciência dos avanços na investigação. Todas as descobertas sobre esquemas, estratégias militares e relações que a máfia Vaccari mantiver devem ser informadas ao serviço de inteligência. ”

Observo ela mover-se até uma estante com 5 gavetas.
Da primeira delas, Safroncik tira duas pastas de cor cinza escuro, que ela entrega a mim e a Diana.

Essas são as informações iniciais para que comecem a missão.”
- Declara.
Nesses arquivos, provavelmente estarão as respostas para todas as perguntas que gostariam de me fazer.”

Abro a pasta, lendo rapidamente alguns dizeres nas páginas impecavelmente lisas. Há as fichas de César e Beth Vaccari, e eu crio um lembrete na minha mente de procurar, depois, alguma coisa sobre a Liza.
Olho para a mulher a minha frente, de repente mergulhado na suposição do que poderia ser tão potente a ponto de abalar seus lucros, e até mesmo, seu poderio.
Reflito sobre a sua última frase, e penso que ela está enganada.
Esses arquivos não serão capazes de responder nem a mais rasa das minhas perguntas.

JAMES
O barulho dos helicópteros aproximando-se da costa é tão ensurdecedor que mal ouço a voz de Sidney no fone.
Ela está situada algumas jardas à nossa frente, e o piloto de seu helicóptero, Luigi, desce, aos poucos, em direção ao litoral, enquanto me informa as coordenadas pelo comunicador.

Nove graus, norte, 45° leste. Preparando-se para saltar.”

Estou no segundo dos cinco helicópteros enviados para a Sicília. Era o jeito mais rápido e seguro de chegarmos até a ilha, visto que não se sabe se há homens de César vigiando a costa. Sidney se voluntariou a ser a primeira a descer, vasculhar a área e dar o sinal para seguirmos em frente. Se algo acontecer, só vai haver tempo para buscá-la e ir embora. De qualquer forma, se precisarmos fugir, vai ser muito mais fácil do que se fossemos todos juntos.

Me avise quando ela estiver dentro.” - Digo.

A experiência de invadir lugares e entrar em situações nas quais não se tem muito tempo para pensar criou o raciocínio rápido suficiente para formar esse tipo de plano num curto prazo. Ontem estávamos fazendo os contatos necessários e traçando rotas, e hoje, já estamos aqui, pondo tudo em ação.
Vai ser uma jogada de mestre se conseguirmos.
Seja lá o que esteja naquela casa, com certeza é algo valioso, que vai gerar grandes prejuízos a César se o pegarmos antes dele. O velho método blitzkrieg não abre espaço para reações, e quando ele se der conta, sua mercadoria já vai ter desaparecido.
Isso, é claro, se ele não for mais rápido do que nós.

Olho por cima do ombro.
Yuval, Carlo e Nico, os que vieram comigo, examinam seus equipamentos de segurança. Nós vamos pular do helicóptero em movimento, através de cordas que serão arriadas no momento da aterrizagem. Nosso equipamento possui ganchos grossos de metal que serão conectados às cordas, dando estabilidade e evitando que alguém sofra algum acidente.

Ela tá dentro.”
- A voz de Luigi soa no comunicador.

Me põe na linha de Sidney.” - Ordeno.

O piloto ao meu lado diminui a velocidade e desce um pouco, e eu abro o rastreador no painel de comando. Nenhum sinal dela.

Sidney?” - Chamo no fone. Um ruído antecede o som de sua voz...

Acabei de entrar na mata.” - Diz. - “Tá tudo ainda mais escuro aqui embaixo.”

O rastreador não tá te localizando.” - Digo.

Desça o helicóptero então.” - Solta. - “O sinal fica um pouco ruim aqui dentro.”

O piloto olha para mim e eu lhe dou um aceno de confirmação.
Ele desce mais alguns graus e o ponto vermelho referente ao seu rastreador surge na tela do radar.

Algum sinal de movimento?”
- Pergunto.

Ainda não.”

Podemos descer?”

Ela fica em silêncio.
Eu aguardo por sua ordem, e uma centelha de euforia surge dentro de mim, crescendo e espalhando-se por todo o meu corpo. É nesses momentos que penso como seria minha vida se eu não fizesse mais parte disso. Se eu deixasse tudo para trás como Liza fez. Em algum momento da minha vida, especialmente quando conheci Rachael, eu quis isso ardentemente. Hoje em dia não consigo me imaginar vivendo de outra forma.
Não é que a consciência não pese quando morre gente inocente no meio dos nossos tiroteios e brigas. Somos mal vistos pela maioria das pessoas, e elas estão certas em pensar assim de nós.
Mas chega um momento de sua vida que você abraça as circunstâncias e se conforma com a verdade de que não há como voltar atrás.

Desçam.”
- Sidney declara, me puxando para o momento. Me levanto e saio da cabine de controle, sem antes ordenar ao piloto…

Avise aos outros.”

Nos posicionamos lateralmente à porta do helicóptero, conectando nossos ganchos às cordas. Meu corpo erradia energia, e o vento é tão forte que apaga a remota voz do piloto, lançando ordens pelo comunicador.
É quase cinco da manhã, e o céu assume um tom de cinza meio escuro.
Olho para os três, que estão logo atrás de mim, e eles balançam a cabeça, num sinal de afirmação.
Aguardo a posição perfeita do helicóptero, e ao sinal de ok do piloto, nós saltamos.