Escritos - página anexa destinada a postagem de obras autorais

7 de nov de 2014

Tormenta - Capítulo 22

Eric estaciona o carro a alguns metros do prédio da Central.
Os vidros escuros e blindados escondem nossos rostos e ele desliga o motor, em silêncio, esperando pelo sinal de Melanie.
Melanie foi resignada para monitorar uma das salas de controle da Central desde que voltou para cá. Ela está lá dentro, seguindo os rastros de Evan.
É arriscado o que estamos fazendo, e o pior de tudo é que estamos sozinhos.
Se formos pegos, não há escapatória.

"Ela já não deveria ter saído?"
    - Pergunto, impaciente. Eric não se agita e nem olha para mim, apenas murmura...

"Evan normalmente é uma das últimas pessoas a sairem da Central."

Olho para o relógio pela milésima vez.
É quase meia noite.
Nós estamos praticamente a mercê de Melanie, já que ela está com a parte mais importante nessa etapa do plano. Se ela falhar, nós falhamos.
      Ouço um som remoto de motor. Uma luz se expande e se intensifica a minha frente, até que esteja perto o suficiente para eu ver que se tratam de faróis. Faróis acesos do carro de Evan. Aguardo ansiosamente pela volta de Melanie, respirando com cautela, como se um simples expirar pudesse colocar tudo a perder.
Observo enquanto o carro de Evan se afasta, até que eu o perca de vista e tudo volte a ficar escuro. Se passa alguns minutos até que o toc toc dos sapatos de Melanie encha a noite.
Ela abre a porta do carro com rapidez e mergulha para dentro, com um brilho de satisfação nos olhos...

"Tudo feito." - Ela diz.

*

O plano arquitetado por Eric logo depois de Evan Muller ser escolhida como nosso atual alvo foi implatar uma espécie de rastreador no carro dela. Melanie trabalha diretamente com Evan na sala de controle III, enviando comandos e monitorando os agentes que ainda estão em Calanma, portanto, o papel de plantar o dispositivo ficou por conta dela. O rastreador é um aparelho pequeno e leve, de cor prateada, conectado a um programa que está no pendrive que Melanie me entrega. Encaixo o pendrive na porta usb do notebook, esperando que os dados sejam transferidos.
Esse é mais um risco que estamos correndo;
O dispositivo pode ser detectado pelos satélites de Illies.
Um mapa se abre na tela, exibindo uma estrada em destaque e um ponto azul que se move nela, correspondente ao carro de Evan.

"Ela está seguindo a estrada principal sentido Askinfor, ao sul."
     - Digo. Askinfor é uma imensa cidade que faz fronteira com Pumi, porém, diferente de Dustfire, ela está mais afastada da guerra, e mais próxima a nossa capital, Sukvinder.

"Isso é bom." - Melanie murmura baixinho, como se estivesse falando consigo mesma. Mesmo sabendo que não foi para mim que ela disse isso, pergunto...

"Por quê?"

"Porque ela deveria estar seguindo uma estrada secundária que daria em algum apartamento aqui mesmo, porém ela está indo para fora de Pumi, o que significa que ela tem algum assunto importante para tratar."

Um assunto importante relacionado à guerra, penso.
A guerra tem sido a única coisa que importa para a Central e para o resto de nós.
Pessoas nascendo, matando, morrendo, amando e odiando, lutando para vencer a guerra ou pelo menos, sobreviver a ela.

   Eric parece inerte aos nossos assuntos, profundamente entretido nos seus, movendo atentamente o carro nas ruas desertas de Pumi.
Volto o meu olhar para a tela e percebo que o mapa mudou.

"Ela não está mais em Pumi."
    - Solto a única informação que eu tenho agora.
A estrada principal, que no mapa deveria seguir adiante até Askinfor some de repente, parando bem na fronteira da cidade. O ponto azul de Evan também some e o resto do mapa não é mais uma porção de terra e sim, um imenso borrão cinza.
"Melanie, vem cá."

Melanie se aproxima e encara a tela, tentando entender o que aconteceu.

"Será que detectaram nosso rastreador?" - Pergunto, hesitante.

"Não."
   - Melanie murmura firmemente.
"Desativaram o acesso ao mapa de Askinfor antes de chegarmos."

Observo, imóvel, Melanie arrancar o notebook do meu colo e digitar uma série de comandos no programa. Os olhos dela se movem rapidamente enquanto letras e números surgem na tela, alertas, agéis.
A Central sabe para onde Evan está indo e fez tudo para que ninguém mais descobrisse.
Askinfor, de alguma forma, vai nos levar a Tiffany Anshelf.